Policiais

Detalhes das prisões de bandidos que mataram cabo da PM em frigorífico em PORTO VELHO.

Em entrevista coletiva realizada na manhã de quinta-feira (16) na Delegacia Especializada em Crimes Contra o Patrimônio, os delegados Marcelo Resem (Delegacia de Patrimônio), Paulo Kakionis (Diretor das Delegacias Especializadas), José Marcos (Diretor da Delegacia de Patrimônio), o coronel Pachá (Secretário de Segurança Pública do Estado) e major Suffi (Comandante do 5° Batalhão da PM) passaram mais detalhes das prisões dos bandidos acusados de matar o cabo PM Rogério.

Fonte Rondôniaovivo

Relembre o caso:


Mais sobre PRISÃO

O crime de latrocínio (roubo seguido de morte) do cabo PM R., aconteceu no final da manhã de sábado (11) em um frigorífico na Estrada da Areia Branca, região Sul de Porto Velho (RO).

Por participação no crime foram presos, B. C. da S., I. S. F., (funcionário do frigorífico onde ocorreu o crime) e E. R. P., todos com passagens pelo sistema prisional da capital.

O quarto envolvido no latrocínio, A. V. A. de O., 19, foi morto a tiros na noite de sábado (11) no Orgulho do Madeira.

As intensas investigações da polícia apuraram que Iuri foi a pessoa que passou as informações de que naquele sábado estaria ocorrendo o pagamento de salários dos funcionários.

Então os criminosos foram para o local, utilizando cada um veiculo, sendo 2 motos, um carro modelo Ford Ka de cor preta, todos estavam armados.

O trio chegou no local de armas em punho anunciando o assalto e o policial teria tentado correr para se abrigar, mas acabou sendo atingido com um tiro no olho e caiu. Quem teria sido o responsável pelo disparo que atingiu o policial não ficou comprovado.

Após ver o policial caído no chão, um dos bandidos retirou a pistola do militar que estava em sua cintura e também um aparelho celular. Os criminosos fugiram em seguida sem levar nenhuma quantia em dinheiro.

Durante as intensas diligências realizadas pela Polícia Civil e Militar, as armas usadas no crime e a pistola do cabo PM, foram encontradas jogadas na Estrada da Areia Branca, ainda na madrugada de domingo (12).

As prisões foram solicitadas da Justiça pelo delegado Marcelo Resem, da Delegacia Patrimônio. “O êxito das prisões se deu por conta do trabalho em conjunto da Polícia Civil e Militar”, disse o delegado Marcelo Resem.

Mostre mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *