Policiais

Rapaz e assassinado a facadas em ouro preto do oeste

11 de maio de 2020

Por Cézar Júnior

A Polícia Militar registrou em Ouro Preto do Oeste um assassinato na madrugada deste domingo (10), no qual foi vítima Rone de Paula Lima, o popular “Galego”, de 28 anos, esfaqueado nas costas e no pescoço próximo da jugular, no meio da rua Albert Sabin, no bairro Nova Ouro Preto.

Rone estava de bruços e com o queixo no asfalto, o corpo envolto em uma poça de sangue, com as duas mãos fechadas. Em uma das mãos tinha nove reais, em notas de 5 e de 2, e na outra mão ele tinha uma moeda de 1 real. A Polícia Militar isolou o local desde o momento que foi acionada até a chegada da perícia criminal.

Havia rastros de sangue do local do crime na rua Albert Sabin até a esquina da rua Sebastião Cabral de Souza, a camisa ensanguentada e os chinelos da vítima, também ficaram pra trás.

Provavelmente a vítima correu de seu algoz que o alcançou e deu a primeira estocada na altura do rim, do lado esquerdo.

Rone levou um segundo golpe na altura do pescoço, a faca atravessou a veia artéria e uma poça de sangue se formou no local.

O local fica a uma quadra da rodoviária municipal, do lado do Mercado do Produtor, onde acontece a feira livre de domingo. A Polícia Militar foi chamada ao local por volta de 5 horas da manhã, isolou a área e acionou em Ji-Paraná peritos da Polícia Técnico-científica (Politec) da Polícia Civil de Rondônia.

Após o trabalho técnico, os peritos Flávio Silva e Reinaldo Gera concluíram que, pelo aspecto de rigidez cadavérico e mesmo do sangue expelido em excesso pela vítima, o assassinato ocorreu entre às 4 horas e 5 horas da manhã.

Um morador próximo de onde o corpo se encontrava, afirmou aos PMs que seu cachorro latiu muito, quando era pouco depois das 4 horas da madrugada, mas não precisou a hora exata.

FILHO DO GUARDA DA PRAÇA

Natural de Ouro Preto do Oeste, Rone era filho do falecido Manoel de Barros Lima, que foi vigilante da Praça da liberdade durante muitos anos na década anterior, e praticamente morava no local para cuidar do local público e combater o vandalismo.

Segundo informações de pessoas que conheciam Rone Galego, ele ultimamente vinha morando praticamente na rua, andando com usuários de drogas e que uma irmã teria alugado um quarto atrás de um bar na Rua José Lenk.

A Polícia Civil vai investigar o homicídio. Após o trabalho da perícia, o corpo da vítima foi liberado do local e removido pela funerária da Associação Vida Nova, e ainda deverá passar por autopsia, pelo medico Ricardo Dias Illivi Ibãnes.

No momento que o corpo estiver liberado, o velório terá apenas 2 horas de duração e já deve ser providenciado o sepultamento, de acordo com o decreto que vigora em Rondônia, em razão da pandemia do novo coronavírus – Covid-19.

Fonte: Correio Central

Mostre mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *